Psicoterapia Online e Presencial

Psicoterapia

O Instituto Walden4 realiza atendimentos psicoterapêuticos com crianças, jovens, adultos e casais. Nossos profissionais estão preparados para lidar com a diversidade e complexidade dos assuntos humanos e atuam, entre outras, nas seguintes áreas: depressão, ansiedade, autoestima, problemas de relacionamento, timidez, transtorno de déficit de atenção e hiperatividade, organização pessoal e profissional, síndrome do pânico, fobias e muito mais.




Atendimentos particulares e por convênio:

AFEB BRASAL ASETE (ASTE) CARE PLUS CASSI FASCAL
INFRAERO PLAN ASSISTE (MPF) PLAN ASSISTE (MPM) PLAN ASSISTE (MPT) PLAS/JMU (STM)
PRÓ-SAÚDE (TJDFT) PRÓ-SOCIAL (TRF) SAÚDE CAIXA STF-MED (STF) TRE SAÚDE
TRT SAÚDE TST SAÚDE PROASA

Agende um horário!

secretaria@walden4.com | (61) 4042-3342

Não encontrou a informação que buscava aqui no site? Então, fale conosco.

Clique no botão "FALE CONOSCO" e escolha um dos nossos canais de comunicação.

Nossa equipe

conheça nossas(os) psicólogas(os)

Caroline Ferreira da Silva

CRP-DF 17307

Danielle Menezes da Silva

CRP-DF 13956

Felipe Raulino de Souza Rippel

CRP-DF 22085

Ítalo Henrique B. Leite

CRP-DF 22749

Karolayne Ketlen Barbosa Paiva

CRP-DF 22598

Pedro Igor Queiroz Ganda

CRP-DF 18570

Priscila Castro Alves

CRP-DF 16887

Priscilla Torres de Menezes Freitas

CRP-DF 23504

Thiago Oyo Valentim

CRP-DF 22648

Vanessa Aparecida Leal Faria

CRP-DF 17995 (currículo)


Um pouco da literatura científica que embasa nosso trabalho...

Terapia comportamental e análise funcional da relação terapeutica: estratégias clínicas para lidar com comportamentos de esquiva. Brandão (1999) Investigação dos efeitos do reforçamento, na sessão terapeutica, sobre três classes de respostas verbais do cliente. Silva e Banaco (2000) A prática e as implicações da análise funcional. Vandenberghe (2002) A perspectiva analítico-comportamental no manejo do comportamento obsessivo-compulsivo: estratégias em desenvolvimento. Vermes e Zamignani (2002) Análise Funcional: Definição e Aplicação na Terapia Analítico-Comportamental. Neno (2003) Uma explicação analítico-comportamental da depressão e o relato de um caso utilizando procedimentos baseados na aceitação. Dougher e Hackbert (2003) Transtorno de Ansiedade Obsessivo-compulsivo (TOC) e Transtorno da Personalidade Obsessivo-compulsivo (TPOC): um “diagnóstico” Analítico-comportamental. Abreu e Prada (2004) Estabelecendo objetivos na prática clínica: Quais caminhos seguir?. Marçal (2005) Autofala e Esporte: Estímulo Discriminativo do Ambiente Natural na Melhora de Rendimento. Scala e Kerbauy (2005) Programas de manejo de estresse ocupacional: uma revisão sistemática da literatura. Murta (2005) Exibicionismo e procedimentos baseados na Terapia de Aceitação e Compromisso (ACT): Um relato de caso. Fukahori, Silveira e Costa (2005) Um Panorama Analítico-Comportamental sobre os Transtornos de Ansiedade. Zamignani e Banaco (2005) Respostas emocionais à luz do modo causal de seleção por consequências. Darwich e Tourinho (2005) Tratamento da fobia social generalizada: comparação entre técnicas. Rey, Beidel e Pacini (2006) Reforçamento diferencial de comportamentos verbais alternativos de um esquizofrênico. Britto,  Rodrigues, Santos e Ribeiro (2006) Terapia Comportamental de Casal: Uma retrospectiva da literatura internacional. Vandenberghe (2006) Descrição do atendimento de uma criança com déficit em habilidades sociais. Branco e Ferreira (2006) Exposure therapy for substance abusers with PTSD: Translating research to practice. Coffey e colaboradores (2006) Psicoterapia do ponto de vista de um comportamentalista. Ferster (2007) Possibilidades da FAP como método de supervisão de terapeutas com clientes Boderline. Sousa e Vandenberghe (2007) Reengineering clinical research science: a focus on translational research. Ferrell (2009) Behavior modification of aggressive children in child welfare: evaluation of a combined intervention program. Nitkowski e colaboradores (2009) Análise funcional do comportamento na avaliação e terapia com crianças. Fonseca e Pacheco (2010) Uma análise dos relatos sobre estados emocionais e motivacionais na evolução de um caso clínico. Barbosa e Tourinho (2010) Relações entre depressão e contingências culturais nas sociedades modernas: interpretação analíticocomportamental. Ferreira e Tourinho (2011) Transtornos Alimentares: uma perspectiva analítico-comportamental. Vale e Elias (2011) Análise dos comportamentos de adesão ao tratamento em adultos portadores de diabetes mellitus tipo 2. Coelho e Amaral (2012) Intervenção baseada na psicoterapia analítica funcional em um caso de transtorno de pânico com agorafobia. Pezzato, Brandão e Oshiro (2012) A comparison of brief functional analyses with and without consequences. Call e colaboradores (2012) Interoceptive conditioning with a nicotine stimulus is susceptible to reinforcer devaluation. Pittenger e Bevins (2013) O tratamento do comportamento de gaguejar e o relacionamento terapeuta-cliente: Um estudo de caso. Dias e colaboradores (2014) Discrimination learning in adults with neurocognitive disorders. Steingrimsdottir e Arntzen (2014) Valores do Terapeuta na Clínica Analítico-Comportamental. Watrin e Canaan (2015) Cuidados parentais e desenvolvimento socioemocional na infância e na adolescência: uma perspectiva analítico-comportamental. Alvarega, Weber e Bolsoni-Silva (2016) O uso de filmes como estratégia terapêutica na prática clínica. Rocha e colaboradores (2016) O Relacionamento Terapeuta-Cliente e o Transtorno de Personalidade Borderline. Cunha e Vandenberghe (2016) Terapia por meio de exposição à realidade virtual para medo e fobia de dirigir: uma revisão da literatura. Haydu e colaboradores (2016) Effects of behavior-contingent and fixed-time release contingencies on frequency and duration of therapeutic restraint. Luiselli, Pace e Dunn (2016) Using single-case experiments to support evidence-based decisions: how much is enough? Lanovaz e Rapp (2016)