Psicoterapia

O Instituto Walden4 realiza atendimentos psicoterapêuticos com crianças, jovens, adultos e casais. Nossos profissionais estão preparados para lidar com a diversidade e complexidade dos assuntos humanos e atuam, entre outras, nas seguintes áreas: depressão, ansiedade, autoestima, problemas de relacionamento, timidez, transtorno de déficit de atenção e hiperatividade, organização pessoal e profissional, síndrome do pânico, fobias e muito mais.




Nossa clínica em números

(números atualizados hoje)

1.245

Clientes atendidos (psicoterapia, autismo, avaliação etc.)

23.240

Sessões realizadas (psicoterapia, autismo, avaliação etc.)

19.367 horas

Horas de atendimento realizados (psicoterapia, autismo, avaliação etc.)

19.849

Evoluções de prontuários preenchidas

Agende um horário!

Veja abaixo os horários disponíveis no momento. Clique no dia da semana para ver os horários e depois clique em "AGENDAR".

Não encontrou a informação que buscava aqui no site? Então, fale conosco.

Clique no botão "FALE CONOSCO" e escolha um dos nossos canais de comunicação.

Nossa equipe

conheça nossas(os) psicólogas(os)

Daiane Rodrigues Aureliano

CRP-DF 19404

Danielle Menezes Ribeiro

CRP-DF 13956

Eduardo Walcacer Viegas

CRP-DF 19489

Italo do Carmo Pinto Oliveira Barros

CRP-DF 18363

Jéssica Gomes Cordeiro

CRP-DF 19201

Lívia de Ângeli Silva Penha

CRP-DF 97797

Márcio Borges Moreira

CRP-DF 15515

Nina de Souza Rosa

CRP-DF 16808

Patricia de Matos Demoly

CRP-DF 19650

Pedro Igor Queiroz Ganda

CRP-DF 18570

Raquel Azevedo de Moraes

CRP-DF 17041

Um pouco da literatura científica que embasa nosso trabalho...

Terapia comportamental e análise funcional da relação terapeutica: estratégias clínicas para lidar com comportamentos de esquiva. Brandão (1999) Investigação dos efeitos do reforçamento, na sessão terapeutica, sobre três classes de respostas verbais do cliente. Silva e Banaco (2000) A prática e as implicações da análise funcional. Vandenberghe (2002) A perspectiva analítico-comportamental no manejo do comportamento obsessivo-compulsivo: estratégias em desenvolvimento. Vermes e Zamignani (2002) Análise Funcional: Definição e Aplicação na Terapia Analítico-Comportamental. Neno (2003) Uma explicação analítico-comportamental da depressão e o relato de um caso utilizando procedimentos baseados na aceitação. Dougher e Hackbert (2003) Transtorno de Ansiedade Obsessivo-compulsivo (TOC) e Transtorno da Personalidade Obsessivo-compulsivo (TPOC): um “diagnóstico” Analítico-comportamental. Abreu e Prada (2004) Estabelecendo objetivos na prática clínica: Quais caminhos seguir?. Marçal (2005) Autofala e Esporte: Estímulo Discriminativo do Ambiente Natural na Melhora de Rendimento. Scala e Kerbauy (2005) Programas de manejo de estresse ocupacional: uma revisão sistemática da literatura. Murta (2005) Exibicionismo e procedimentos baseados na Terapia de Aceitação e Compromisso (ACT): Um relato de caso. Fukahori, Silveira e Costa (2005) Um Panorama Analítico-Comportamental sobre os Transtornos de Ansiedade. Zamignani e Banaco (2005) Respostas emocionais à luz do modo causal de seleção por consequências. Darwich e Tourinho (2005) Tratamento da fobia social generalizada: comparação entre técnicas. Rey, Beidel e Pacini (2006) Reforçamento diferencial de comportamentos verbais alternativos de um esquizofrênico. Britto,  Rodrigues, Santos e Ribeiro (2006) Terapia Comportamental de Casal: Uma retrospectiva da literatura internacional. Vandenberghe (2006) Descrição do atendimento de uma criança com déficit em habilidades sociais. Branco e Ferreira (2006) Exposure therapy for substance abusers with PTSD: Translating research to practice. Coffey e colaboradores (2006) Psicoterapia do ponto de vista de um comportamentalista. Ferster (2007) Possibilidades da FAP como método de supervisão de terapeutas com clientes Boderline. Sousa e Vandenberghe (2007) Reengineering clinical research science: a focus on translational research. Ferrell (2009) Behavior modification of aggressive children in child welfare: evaluation of a combined intervention program. Nitkowski e colaboradores (2009) Análise funcional do comportamento na avaliação e terapia com crianças. Fonseca e Pacheco (2010) Uma análise dos relatos sobre estados emocionais e motivacionais na evolução de um caso clínico. Barbosa e Tourinho (2010) Relações entre depressão e contingências culturais nas sociedades modernas: interpretação analíticocomportamental. Ferreira e Tourinho (2011) Transtornos Alimentares: uma perspectiva analítico-comportamental. Vale e Elias (2011) Análise dos comportamentos de adesão ao tratamento em adultos portadores de diabetes mellitus tipo 2. Coelho e Amaral (2012) Intervenção baseada na psicoterapia analítica funcional em um caso de transtorno de pânico com agorafobia. Pezzato, Brandão e Oshiro (2012) A comparison of brief functional analyses with and without consequences. Call e colaboradores (2012) Interoceptive conditioning with a nicotine stimulus is susceptible to reinforcer devaluation. Pittenger e Bevins (2013) O tratamento do comportamento de gaguejar e o relacionamento terapeuta-cliente: Um estudo de caso. Dias e colaboradores (2014) Discrimination learning in adults with neurocognitive disorders. Steingrimsdottir e Arntzen (2014) Valores do Terapeuta na Clínica Analítico-Comportamental. Watrin e Canaan (2015) Cuidados parentais e desenvolvimento socioemocional na infância e na adolescência: uma perspectiva analítico-comportamental. Alvarega, Weber e Bolsoni-Silva (2016) O uso de filmes como estratégia terapêutica na prática clínica. Rocha e colaboradores (2016) O Relacionamento Terapeuta-Cliente e o Transtorno de Personalidade Borderline. Cunha e Vandenberghe (2016) Terapia por meio de exposição à realidade virtual para medo e fobia de dirigir: uma revisão da literatura. Haydu e colaboradores (2016) Effects of behavior-contingent and fixed-time release contingencies on frequency and duration of therapeutic restraint. Luiselli, Pace e Dunn (2016) Using single-case experiments to support evidence-based decisions: how much is enough? Lanovaz e Rapp (2016)